Evolução das Ideias da Física

Timeline created by facebooker_3496582807095613
In History
  • -624 BCE

    TALES DE MILETO

    TALES DE MILETO
    Tales de Mileto (624-546 a.C.).
    Filosofo da natureza
    Precursor do estudo da eletricidade.
    Percebeu que friccionando o âmbar, o objeto ganhava capacidade de atração.
  • -384 BCE

    ARISTÓTELES DE ESTAGIRA

    ARISTÓTELES DE ESTAGIRA
    Aristóteles (384-322 a.C.), de Estagira, é apontado por historiadores da ciência como uma das mentes mais brilhantes de todos os tempos. Contribuiu com trabalhos em várias áreas do conhecimento.
  • Period:
    -384 BCE
    to
    Jan 1, 1543

    TEORIA ARISTOTÉLICA

    Teoria científica, altamente elaborada e perfeitamente coerente, que possui uma base filosófica muito profunda.
    Esta teoria está muito bem de acordo com o senso comum e a experiência cotidiana.
  • -374 BCE

    ESTRUTURA DO MUNDO ARISTOTÉLICO

    ESTRUTURA DO MUNDO ARISTOTÉLICO
    Aristóteles classificou o seu Mundo em duas Regiões:
    Sublunar e Supralunar.
    Sublunar é o lugar Impefeito, Corruptível e contínuas Mudanças.
    Supralunar é o lugar Perfeito, Incorruptível, Harmonia e Imutável
  • -364 BCE

    COMPOSIÇÃO DO MUNDO ARISTOTÉLICO

    COMPOSIÇÃO DO MUNDO ARISTOTÉLICO
    O Mundo de Aristóteles era composto pelos seguintes elementos:
    Sublunar => terra, água, ar e fogo.
    Supralunar => éter (puro, inalterável, transparente e sem peso).
  • -354 BCE

    DINÂMICA DO MUNDO ARISTOTÉLICO

    DINÂMICA DO MUNDO ARISTOTÉLICO
    Na dinâmica aristotélica têm-se dois tipos de movimentos.
    Região Supralunar => Movimento Circular Perfeito (Natural).
    Região Sublunar => Movimento Retilíneo (Natural e Violento). Pedra caindo => Lugar Natural
    Pedra lançada=> Movimento Violento ***Antiperistasis*** Caixa empurrada => Velocidade = Força/Resistência
  • -344 BCE

    MOVIMENTO NO MUNDO ARISTOTÉLICO

    MOVIMENTO NO MUNDO ARISTOTÉLICO
    Movimento é Mudança.
    Para Aristóteles só era possível haver movimento se existisse uma FORÇA. Na sua teoria é inconcebível a existência do VAZIO.
    O meio físico sempre oferece uma RESISTÊNCIA. Assim, um problema surge:
    Ao mesmo tempo que o meio oferece RESISTÊNCIA ele é provoca MOVIMENTO.
  • -190 BCE

    MODELO DE HIPARCO

    MODELO DE HIPARCO
    Hiparco (190 a.C. - 120 a. C.) contestou a explicação aristotélica acerca do movimento dos projéteis, após a perda do contato com o motor. Elaborou o conceito de força impressa.
    Defendendo que o projétil permanecia em movimento porque
    a ação do motor (força externa) imprimiria ao corpo movente
    (projétil) certa ‘força impressa.
  • -99 BCE

    TITO LUCRÉCIO CARO

    TITO LUCRÉCIO CARO
    Nasceu ca. 99 a.C. e viveu 44 anos.
    Explicação da atração - ferro e magneto.
    Defende que o magneto (pedra) emite numerosos elementos que golpeiam o ar. Depois que o espaço estivesse vazio os átomos magnetos voltam para a pedra e o ferro segue-os para a pedra.
  • 85

    CLÁUDIO PTOLOMEU

    CLÁUDIO PTOLOMEU
    Cláudio Ptolomeu (c. 85 – 170 d.C.)
    Construiu um Sistema de Mundo Matemático-Astronômico.
    Um marco na antiguidade.
    É o principal representante da antiguidade.
  • 127

    MODELO GEOCÊNTRICO DE PTOLOMEU

    MODELO GEOCÊNTRICO DE PTOLOMEU
    Modelo de Mundo com bases Teóricas aristotélicas.
    Realiza muitas observações e faz muitos registros de constelações.
    Descrevia os movimentos dos planetas de forma satisfatória.
    Publica a obra mais importante da antiguidade, O ALMAGESTO.
    Sistema de Mundo é o Geocêntrico.
    Adota os EPICICLOS, DEFERENTES e o EQUANTE (Introduzido por Ptolomeu).
    Sistema de mundo Complexo.
  • 490

    JOÃO PHILOPONOS

    JOÃO PHILOPONOS
    Philoponos (490 - 570)Utiliza o conceito de força incorpórea (conservação da quantidade de movimento).
    Aadmite a existência do vazio e movimento no vazio.
    Essa força motriz incorpórea não é uma coisa de natureza permanente, mas desaparece gradualmente, até mesmo no vazio. 1) devido ao meio
    2) devido a tendência do corpo pesado de ir para o seu lugar natural.
    Ideia anti-inercial.
    A força motriz incorpórea não pode durar para sempre.
    O movimento não pode durar para sempre.
  • Jan 1, 1300

    JEAN BURIDAN

    JEAN BURIDAN
    Jean Buridan (1300–1358)
    Contrário a teoria aristotélica de movimento - ANTIPERISTASIS.
    Buridan defende que o ar somente oferece resistência ao movimento.
    Adota o conceito de força motriz (virtusmotiva) ou de um ímpeto (impetus) impresso ao corpo. Impetus era uma qualidade permanente caso s/ resistencia meio ou gravidade. Diminui com a resistência do ar.
  • Jan 1, 1320

    NICOLAS ORESME

    NICOLAS ORESME
    Nicolas Oresme discípulo de Buridan.
    Critica o modelo de movimento de Buridam.
    Defende que a Terra esta em movimento.
    Contrário a Aristóteles, defende que os corpos terrestres possam realiza movimento natural circular e retilíneo.
    Oresme se aproxima do conceito de inércia.
    Predecessor de Nicolau Copérnico.
  • Jan 1, 1473

    NICOLAU COPÉRNICO

    NICOLAU COPÉRNICO
    Nicolau Copérnico (1473-1543)
    Desenvolveu a Teoria do Sistema Heliocêntrico.
    Atribui Movimento Natural para a Terra.
    Corpos terrestres possuem:
    MOVIMENTO CIRCULAR(HORIZONTAL)=>acompanha o movimento da Terra.
    MOVIMENTO RETILÍNEO(VERTICAL)=> corpos fora de seus lugares naturais.
    Se aproxima bastante do Conceito Moderno de INÉRCIA.
  • Jan 1, 1543

    MODELO HELIOCÊNTRICO DE COPÉRNICO

    MODELO HELIOCÊNTRICO DE COPÉRNICO
    Propõem um Sistema Heliocêntrico
    Obra: "Sobre a Revolução das Esferas Celestes".
    Manteve:
    Sol é o centro do Mundo
    Corpos celestes em MCU
    Esferas Cristalinas.
    Explica com NATURALIDADE:
    os movimentos RETRÓGRADOS E OS BRILHOS dos planetas.
  • Period:
    Jan 1, 1550
    to

    REVOLUÇÃO CIENTÍFICA

    O período de profundas transformações nas ciências.
    Valorização da OBSERVAÇÃO e da EXPERIMENTAÇÃO na abordagem dos fenômenos naturais, bem como da compreensão da importância do uso da matemática na descrição desses fenômenos.
  • Feb 15, 1564

    GALILEU GALILEI

    GALILEU GALILEI
    Galileu Galilei, Pisa, 15 de fevereiro de 1564.
    Físico, matemático, astrônomo e filósofo florentino.
  • JOHANNES KEPLER I

    JOHANNES KEPLER I
    Johannes Kepler (1571-1630), Weil, Alemanha.
    FIGURA importante para a Revolução Científica.
    Se destacou na Astronomia.
    Suas ideias serviram de base para a física moderna. Avançou no desenvolvimento astronômico do Modelo de Copérnico.
    Modelo cosmológico dos SÓLIDOS GEOMÉTRICOS INSCRITOS E CIRCUNSCRITOS.
    1 - OBRA (1596) O MISTÉRIO COSMOGRÁFICO.
  • JOHANNES KEPLER II

    JOHANNES KEPLER II
    Em 1600 ele se tornou colaborador de TYCHO BRAHE.
    Tem acesso aos DADOS (muitos e precisos) astronômicos de Marte.
    Analisa a EXCENTRICIDADE de Marte.
    Leva-o ao Abandono das formas CIRCULARES.
  • WILLIAN GILBERT - ELETRICIDADE

    WILLIAN GILBERT - ELETRICIDADE
    William Gilbert (1544-1603)
    Publica a obra De Magnets(1600) - Eletricidade e Magnetísmo.
    Define => elétrico => elektron => âmbar.
    Corpos atritados emitiam um EFLÚVIO, de natureza material, o qual seria liberado pelo calor produzido entre corpos, por fricção.
    realiza experimentos com o Versório - ATRAÇÕES elétricas entre corpos.
  • WILLIAM GILBERT - IDEIA DE CAMPO

    WILLIAM GILBERT - IDEIA DE CAMPO
    Corpo imantado no CAMPO da magnetita
    "De Magnete" (1600)
    A força estende-se em todas as direções... Mas sempre que o ferro ou outro corpo magnetizado de tamanho suficiente entra na sua esfera de influência é atraído;
    no entanto, quanto mais de perto estiver a magnetita, maior será a força com que ela o atrai.
    Foi um passo importante na formulação do conceito de CAMPO, como uma propriedade física que se estende por uma REGIÃO DO ESPAÇO e é descrita por uma função da posição e do tempo.
  • Period: to

    ESTUDO DOS GASES

    Séculos XVII e XVIII primeiras investigações sobre o comportamento dos gases.
    Henry Power (1623 – 1668)
    Richard Towneley (1629 – 1707)
    Edmé Mariotte (c.1620 – 1684)
    Robert Boyle Estabelecem a lei da constância p*V = cte de gás à T cte. No século 18, a teoria dos gases foi Esparsamente Investigada. As diferenças de temperatura eram imputadas a uma maior ou menor quantidade de Calórico.
  • LEIS DE KEPLER: ÓRBITAS ELÍPTICAS E ÁREAS

    LEIS DE KEPLER: ÓRBITAS ELÍPTICAS E ÁREAS
    Todo movimento exige um agente motor.
    Os movimentos dos planetas NÃO-UNIFORMES..
    O Sol exerce uma FORÇA sobre os planetas (força inversamente proporcional a distância).
    Contrário a ideia de lugar natural.
    Sua INÉRCIA está relacionada com as DIMENSÕES DO CORPO.
    Na Terra e no Céu a física é a mesma.
    ABANDONA AS ÓRBITAS CIRCULARES.
    ADOTA AS ÓRBITAS ELÍPTICAS.
    CHEGA, por artifícios geométricos, NA LEI DAS ÁREAS.
    2 - OBRA (1609) ASTRONOMIA NOVA.
  • TELESCÓPIO I

    TELESCÓPIO I
    Em Pádua, Galileu teria, pela primeira vez,
    ouvido falar do telescópio holandês.
  • TELESCÓPIO II

    TELESCÓPIO II
    Constrói, com êxito, um instrumento que aumenta cerca de dez vezes.
  • TELESCÓPIO III

    TELESCÓPIO III
    Descobriu os satélites de Júpiter, as montanhas e crateras da Lua (fases).
    Descobriu que a Via Láctea é composta de miríades de estrelas.
    Publica o Sidereus Nuncius (19/03/1610).
  • LEIS DE KEPLER: PERÍODOS

    LEIS DE KEPLER: PERÍODOS
    Ênfase matemática do Cosmos como expressão máxima da perfeição Criadora.
    Partindo de Sólidos Geométricos conhecia as distâncias (variáveis) solares.
    Associa as velocidades angulas as frequências musicais. Ao se movimentar, o planeta emitia uma nota musical.
    Utilizando os dados de Tycho Brahe chega na relação:
    T^2 ~ R^3.
    T: Período
    R: distância média dos planeta até o Sol.
    3 - OBRA (1619) HARMONIA DOS MUNDOS
  • ESTRUTURA DO MUNDO DE KEPLER

    ESTRUTURA DO MUNDO DE KEPLER
    Estabelece uma estrutura do Universo:
    1) Sol (centro causa os movimentos)
    2) Esfera das estrelas (delimitar-lhe sua abrangência)
    3) Espaço etério intermediário (onde se movimentam os planetas) Santíssima Trindade: o Sol, associado ao Pai; a esfera estelar, relacionada ao Filho e a região intermediária, relacionada ao Espírito Santo. FORÇA DE NATUREZA MAGNÉTICA: SOL E OS PLANETAS
    1) Deflexão das Fibras Magnéticas
    2) Variações na Força Solar
    3) Resulta na trajetória ELÍPTICA.
  • INÉRCIA - GALILEU GALILEI

    INÉRCIA - GALILEU GALILEI
    O Diálogo Sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo (1632)
    Foi uma obra marcante da Revolução Científica.
    Galileu utiliza três personagens, Salviati, Simplício e Sagredo, que debatem sobre Mecânica.
    Princípio da Inércia (movimento curvelíneo).
    A gravidade é INERENTE A MATÉRIA (NÃO DEU UM PASSO...)
    Princípio da Independência dos Movimentos.
    Movimento e Repouso são Estados.
  • RENÉ DESCARTES - INÉRCIA

    RENÉ DESCARTES - INÉRCIA
    PENSAMENTO RACIONALISTA
    EXPLICOU O MODERNO PRINCÍPIO DA INÉRCIA. A matéria cartesiana reduzia-se a pura extensão geométrica, desprovida de qualquer tipo de qualidade ou tendência. Seus movimentos devida ações externas (locais), na forma de COLISÕES ENTRE OS CORPOS.
  • ISAAC NEWTON

    ISAAC NEWTON
    Isaac Newton (Woolsthorpe-by-Colsterworth, 4 de janeiro de 1643 — Kensington, 31 de março de 1727).
    Astrônomo, alquimista, filósofo natural, teólogo e cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático.
  • ÉTER LUMINÍFERO HUYGENS

    ÉTER LUMINÍFERO HUYGENS
    Concebeu a existência de um Meio Luminoso, que penetrava os poros de todos os corpos e enchia todo o espaço.
    Este meio é um FLUIDO (ÉTER LUMINÍFERO).
    Apoiado no éter aristotélico-cartesiano.
  • PRINCIPIA DE NEWTON

    PRINCIPIA DE NEWTON
    Obra “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural” (1687).
    Publicou descobertas feitas durante a peste negra (1666). Sintetiza a Astronomia de Kepler a Física de Galileu, concebendo as Três Leis Fundamentais da Mecânica e a Lei Da Gravitação Universal. Modelo Mecânica clássica baseado na relatividade de Galileu. A transformação de Galileu pressupõe um tempo absoluto (independente do sistema de referência).
  • JOSEPH BLACK

    JOSEPH BLACK
    Joseph Black (1728 – 1799)
    Defensor da ideia do Calórico (Materialismo).
    Realizou experimentos sobre processo de EQUILIBRIO TÉRMICO.
    Estabelece a diferença entre CALOR e TEMPERATURA.
    Introduz o conceito de Calor Específico.
    Descobriu que pode haver transferência de calor sem mudança de estado físico - CALOR LATENTE.
  • JAMES WATT

    JAMES WATT
    Em 1765, James Watt, melhorou (substituiu) a Máquina de Newcomen. Elaborou uma máquina com um condensador.
    Menor Consumo de Combustível (carvão).
    Para outras finalidades (propulsão de moinhos e tornos, etc)
    A máquina de Watt ajudou a desenvolver a Revolução Industrial.
    Sua máquina OPERAVA entre dois reservatórios a DIFERENTES TEMPERATURAS.
  • COULOMB - AÇÃO À DISTÂNCIA

    COULOMB - AÇÃO À DISTÂNCIA
    Charles de Coulomb (1736 –1806) acredita na existência de FLÚIDOS ELÉTRICOS(+-).
    Obra Primeira Memória sobre a Eletricidade e o Magnetismo (1785). Implementa o programa laplaciano com inspiração newtoniana, descreve matematicamente e demonstra experimentalmente a interação por forças de AÇÃO À DISTÂNCIA.
    Fenômenos Elétricos e Magnéticos SÃO INDEPENDENTES.
  • ANTOINE LAVOISIER

    ANTOINE LAVOISIER
    Auge do CALÓRICO foi com Antoine Lavoisier.
    Memória sobre o Calor (1783) (junto com Laplace).
    Tratado Elementar de Química (1789).
    Deram ao Calor Específico o CONCEITO ATUAL.
  • TEORIA DO CALÓRICO

    TEORIA DO CALÓRICO
    Calor (calórico) (Lavoisier)
    Uma substância FLUIDA, IMPONDERÁVEL e ELÁSTICA, cujas partículas se repeliam mutuamente.
    Teoria Complexa. Defensores:
    Pierre Gassendi (astrónomo e filósofo francés)
    Lavoisier e Bertholet (químicos franceses)
    William Thomson (Lord Kelvin)
    William Cleghorn (Edimburgh, 1779)
  • BENJAMIN THOMPSON

    BENJAMIN THOMPSON
    Conde Rumford
    Observa a PRODUÇÃO DE CALOR na perfuração dos canos para canhões (calor gerado pela FRICÇÃO).
    Suas experiências forneceram um argumento CONTRA a hipótese do CALÓRICO.
    Na década de 1790, Rumford concluiu que o CALOR devia ser uma
    FORMA DE MOVIMENTO.
  • ÉTER LUMINÍFERO DE FRESNEL

    ÉTER LUMINÍFERO DE FRESNEL
    O éter de Fresnel deveria comportar-se como um SÓLIDO ELÁSTICO. Éter deveria ser rígido, pois sendo a luz uma onda transversal, não se propagaria através de um meio fluido. Porém, o éter teria que ser MUITO TÊNUE para não oferecer resistência ao movimento dos planetas. Dessa forma, ele foi capaz de descrever os fenômenos periódicos da luz – refração, polarização e difração.
  • HANS CHRISTIAN OERSTED

    HANS CHRISTIAN OERSTED
    Em 1820, Hans Christian Oersted (1777 – 1851) INAUGUROU o ELETROMAGNETÍSMO ao descobrir a interação entre agulhas imantadas e correntes elétricas. A TRANSFORMAÇÃO da ideia de ÉTER ELÉTRICO para a ideia de CAMPO DE AÇÕES distribuídas pelo espaço.
  • AMPÈRE - MAGNETOS E CORRENTE ELÉTRICA

    AMPÈRE - MAGNETOS E CORRENTE ELÉTRICA
    Levou o eletromagnetismo a outro patamar, ao descobrir e descrever matematicamente o Fenômeno Eletrodinâmico de INTERAÇÃO entre CORRENTES. O cerne do seu trabalho consistiu na compreensão mais simples e unificada das interações entre magnetos e entre correntes e magnetos.
    Tinha como base teórica as Teoria newtoniana e a ideia de AÇÃO À DISTÂNCIA.
  • SADI CARNOT - INÍCIO DA TERMODINÂMICA

    SADI CARNOT - INÍCIO DA TERMODINÂMICA
    Termodinâmica se inicia com a publicação das Reflexões sobre a Potência Motriz do Fogo.
    Calor ainda era o fluido imponderável conhecido como CALÓRICO. Princípio de Carnot
    para que trabalho mecânico possa ser produzido, por qualquer que seja o sistema termodinâmico operando em um processo CÍCLICO, O CALOR deve, necessariamente, FLUIR de um reservatório mais QUENTE para um reservatório mais FRIO.
    DIREÇÃO FLUXO DE CALOR
  • FARADAY - INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA

    FARADAY - INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA
    Faraday (1791-1864)
    A partir de análise de trabalhos para a revista "annals of philosophy" obtém resultados importantes.
    INDUÇÃO ELETROMAGNÉTICA
    (a rotação eletromagnética) Percebeu que a passagem de uma corrente elétrica por um fio enrolado (circuito primário) em um anel metálico induzia uma corrente elétrica transiente em um outro fio enrolado (circuito secundário), no mesmo anel, no momento em que o circuito primário era ligado.
  • BENOIT CLAPEYRON

    BENOIT CLAPEYRON
    Forneceu um tratamento matemático para a teoria
    das máquinas térmicas de Sadi Carnot.
  • JULIUS R. MAYER - CONSERVAÇÃO DA ENERGIA

    JULIUS R. MAYER - CONSERVAÇÃO DA ENERGIA
    Julius Robert Mayer (1814-1878).
    Em 1840. observou que:
    O sangue de seus pacientes:
    Local quente: escuro
    Local frio: mais claro Devido a variação na qdade de O2. Causada pela menor combustão dos alimentos para manter o calor do corpo. Concluiu que a ENERGIA MECÂNICA dos músculos provinha da ENERGIA QUÍMICA dos alimentos. TRANSFORMAÇÕES entre a ENERGIA MECÂNICA, o CALOR e a ENERGIA QUÍMICA. PRINCÍPIO DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA
    Equivalência dos processos de conversão de energia.
  • LINHAS DE FORÇA - CAMPO DE FORÇA - FARADAY

    LINHAS DE FORÇA - CAMPO DE FORÇA - FARADAY
    Faraday passou a visualizar as FORÇAS MAGNÉTICAS/ELÉTRICAS como uma espécie de TUBOS DE BORRACHA (LINHAS ELÁSTICAS) que se estendiam no espaço a partir de imãs/corpos eletrizados e que podiam ser distorcidas, LINHAS DE FORÇA. Linhas que preenchem o espaço vazio, constituir-se em um CAMPO DE FORÇA
    -MARCO INAUGURAL CONCEITO CAMPO.
  • JOULE - EQUIVALENTE MECÂNICO

    JOULE - EQUIVALENTE MECÂNICO
    James Joule demonstrou a equivalência numérica entre CALOR e TRABALHO MECÂNICO(Concepção Dinâmica). Estudou o trabalho realizado por um gás quando se expande e o calor gerado quando se comprime. Início do estabelecimento do Princípio da Conservação da energia.
  • PRINCÍPIO DE CONSERVAÇÃO DA ENERGIA

    PRINCÍPIO DE CONSERVAÇÃO DA ENERGIA
    Hermann von Helmholtz no trabalho "Sobre a Conservação da Força"
    Estabeleceu definitivamente O PRINCÍPIO DE CONSERVAÇÃO DA ENERGIA, em bases teóricas e matemáticas, com um grau de generalidade muito superior ao dos seus antecessores e contemporâneos.
  • WILLIAN THOMSON (LORD KELVIN)

    WILLIAN THOMSON (LORD KELVIN)
    Analisa as teorias Materialista de Carnot e a Teoria de conversão entre Trabalho e energia Térmica.
    Chega a uma escala de Temperatura Absoluta. Utiliza pela 1 vez o conceito de ENERGIA num contexto Termodinâmico. Thomson demonstrou que CALOR não pode se converter espontaneamente em TRABALHO.
    Equivalente à de Clausius.
  • CLAUSIUS - LEIS DA TERMODINÂMICA

    CLAUSIUS -  LEIS DA TERMODINÂMICA
    RUDOLF CLAUSIUS
    Estabelece dois postulados na obra Sobre a Força Motriz do Calor.
    Obtém a relação entre o FLUXO de CALOR e o TRABALHO MECÂNICO. PRIMEIRA LEI: Q = DU(V,T) +W (Conservação Energia)
    DU(V,T): CALOR SENSÍVEL SEGUNDA LEI:
    Fonte Quente - calor - Fonte Fria (Cíclico)
    * Parte é Trabalho
    * Parte liberada Fonte Fria.
    OU
    é impossível o calor fluir de um corpo quente para um frio (DIRECIONALIDADE). Conceito de ENTROPIA
    a entropia do universo tende a um máximo
  • MAXWELL IDEIA DE FLUXO (TUBOS)

    MAXWELL IDEIA DE FLUXO (TUBOS)
    Sobre as Linhas de Força de Faraday
    LINHAS DE FORÇA representada Geometricamente por um FLUXO (analogia com a mecânica dos fluidos) TUBOS que atravessavam as sucessivas Superfícies Equipotenciais A LARGURA de cada tubo variava na razão inversa da intensidade da força.
  • AÇÃO A DISTÂNCIA (ROGER COTES)

    AÇÃO A DISTÂNCIA (ROGER COTES)
    No seu artigo de 1873, denominado Ação à Distância, Maxwell afirma que foi o matemático e físico inglês Roger Cotes (1682-1716) quem primeiro afirmou a doutrina da ação direta, em seu prefácio do Principia (1713) de Newton.
  • ÉTER LUMINÍFERO DE MAXWELL

    ÉTER LUMINÍFERO DE MAXWELL
    Com a Teoria EM da luz de Maxwell, o éter deixaria de ter natureza necessariamente mecânica, e passa a ter propriedade de meio eletromagnético, ou seja, idênticas às do MEIO LUMINÍFERO.
  • EQUAÇÕES DE MAXWELL

    EQUAÇÕES DE MAXWELL
    DUAS IDEIAS DE MAXWELL
    1. Assumiu que a Estrutura do ÉTER material devia sustentar o CAMPO DE FORÇAS de modo análogo ao campo de tensões em um sólido elástico.
    2. Acoplou, a esse modelo, os VÓRTICES DE FLUIDOS. "Tratado sobre Eletricidade e Magnetismo"
    Abordou as teorias de eletricidade e das linhas de indução magnéticas de Faraday. UNIFICAÇÃO eletricidade - magnetismo - óptica. Ondas EM velocidade c (permissividade e permeabilidade magnética). Confirmação Hertz 1887.
  • BOLTZMANN - MECÂNICA ESTATÍSTICA

    BOLTZMANN - MECÂNICA ESTATÍSTICA
    Boltzmann estabelece uma relação entre o Teorema de Clausius sobre o aumento da ENTROPIA e a Probabilidade de estado de um sistema.
    Interpretação estatística da ENTROPIA:
    S = kB*lnΩ.
    Considerado um dos fundadores da Mecânica Estatística e defensor da Teoria Atômica.
  • EXPERIÊNCIA DE MICHELSON-MORLEY

    EXPERIÊNCIA DE MICHELSON-MORLEY
    Nessas experiências, eles tentaram verificar o efeito da VELOCIDADE do referencial do observador (Terra) na medida da velocidade da luz viajando no suposto éter.
    Como tal efeito não foi detectado, colocou-se em séria dúvida a existência do éter.
  • MAX PLANCK - RADIAÇÃO DE CORPO NEGRO

    MAX PLANCK - RADIAÇÃO DE CORPO NEGRO
    Artigo Sobre a teoria da Lei de Distribuição de Energia de Espectro Normal.
    Maxwell-Luz-onda EM.
    Radiação emitida por um corpo depende da temperatura.
    A Lei de Planck
    A energia das oscilações são múltiplos inteiros da energia fundamental E, proporcional à freqüência de oscilação.
    A energia trocada entre os osciladores e a própria radiação são discretizada.
    A radiação é absorvida ou emitida por um corpo aquecido não sob a forma de ondas, mas por meio de pequenos “pacotes”(quantum) de energia.
  • EINSTEIN - RELATIVIDADE RESTRITA

    EINSTEIN - RELATIVIDADE RESTRITA
    Teoria da Relatividade Restrita
    (A Eletrodinâmica dos Corpos em Movimento)
    Movimento na ausência de campo gravitacional. Dilatação do Tempo
    Contração do Espaço.
    Efeito Fotoelétrico - Quantização do Campo EM. A SIMETRIA Princípio Máximo que rege as construções das teorias físicas futuras.